SECRETÁRIO ALERTA SOBRE FALTA DE MEDICAMENTOS DE INTUBAÇÃO EM POÇOS DE CALDAS: ‘SITUAÇÃO GRAVE’
24/03/2021 16:27 em Regional

 

 

O Secretário Municipal de Saúde, Carlos Mosconi, alertou a população de Poços de Caldas nesta quarta-feira (24) sobre a falta de medicamentos de intubação na cidade. Em coletiva de imprensa, ele disse que existe o risco de o paciente contrair Covid-19 e caso precise ir para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) não conseguir realizar o tratamento necessário.

 

“Quero chamar a atenção da população, hoje é um risco muito grande a pessoa pegar Covid e precisar ir para a UTI. Ele corre o risco de não poder ser intubado”, disse o secretário.

“Sem esses medicamentos, eles não podem ser intubados. O que significa dizer que eles poderão morrer se isso acontecer. É uma situação grave, penosa demais para nós, mas que está acontecendo”, completou.

Carlos Mosconi não precisou por quanto tempo a cidade tem estoque dos medicamentos necessários para a intubação, mas ele afirma ser “um pequeno estoque”. No entanto, ele revelou que a escassez “nem é mais risco, é evidência”.

 

“Hoje estamos com falta de medicamentos para intubar os pacientes. Nós estamos tomando as providências necessárias. Estamos também envolvendo a iniciativa privada, para que a compra possa ser feita, se ela for possível, mais rapidamente, porque o serviço público tem os seus entraves, as suas dificuldades”, falou.

 

Segundo o secretário, a prefeitura já comunicou o Ministério da Saúde, o Governo de Minas e a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) sobre a falta dos medicamentos.

 

Sem tratamento precoce

Durante a coletiva, o médico infectologista Mário Krugner, que já foi secretário de saúde e atualmente é membro do comitê Covid-19 de Poços de Caldas, disse que a cidade não vai realizar tratamento precoce. Segundo ele, o município só irá fazer o que for “cientificamente comprovado”.

 

“Com todo respeito à cidade de São Lourenço [que realiza o procedimento] e toda sua equipe, a gente não vai fazer isso, porque a gente não tem evidência. Quando eu penso em São Lourenço, eu penso também na Alemanha, na Suíça, na Rússia, na China, nos Estados Unidos. E qual é o tratamento precoce dessas nações? Qual é o tratamento precoce que está escrito no nosso Ministério da Saúde? Qual é o tratamento precoce que está escrito na nossa Secretaria Estadual de Saúde? Infelizmente, nenhum”, disse.

 

Pacientes de BH

Também na coletiva, o prefeito Sérgio Azevedo (PSDB) comentou sobre a “inversão de valores” de pacientes de Belo Horizonte estarem realizando tratamento em Poços de Caldas contra a Covid-19. O chefe da administração municipal destacou que a cidade continuará recebendo pacientes “sempre que possível”.

 

“Hoje temos gente de Belo Horizonte internada aqui. É uma inversão de valores. Belo Horizonte é a capital do estado, Poços de Caldas é que tinha que estar levando gente para Belo Horizonte. Poços de Caldas tem condições de atender aqui, desde que nós não estivéssemos fazendo um papel quase que de uma capital, recebendo pessoas de vários locais. Vamos continuar recebendo sempre que possível, poderia ser o inverso, poderia ser Poços que estivesse indo para outra cidade”, falou.

 

Covid-19 em Poços de Caldas

De acordo com boletim epidemiológico divulgado pela prefeitura, Poços de Caldas contabiliza 5.653 contaminações pela Covid-19, sendo 153 mortes em decorrência da doença.

 

Até a noite de terça-feira (23), a ocupação de leitos de UTI para tratamento da doença na cidade era de 93,15%. Segundo a prefeitura, 32 pacientes são de Poços de Caldas e outros 36 de outras cidades.

Da Redação| Felipe Avelino (Informações & foto G1) 

 

 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!