Reunião na Câmara debate lei que revoga feriado referente ao "Dia da Consciência Negra” em Andradas
27/11/2018 13:18 em Regional

 

Aconteceu na noite de ontem (26) na Câmara Municipal reunião para debater o feriado referente ao "Dia da Consciência Negra”, comemorado desde 2016 em Andradas. A data, como todos sabem, é 20 de novembro, mês em que já existem dois feriados nacionais: o de Finados e o da Proclamação da República.

Por isso comerciantes e empresários estão descontentes com os prejuízos e pedem alteração no projeto. A reunião foi organizada pela Comissão de Educação, Cultura, Lazer e Patrimônio Histórico que tem a Vereadora Leila Candido como presidente e os vereadores Regis Basso e Ademir dos Santos Peres como membros.

Democraticamente, ficou estabelecido que dez pessoas fariam uso da palavra durante a reunião: cinco favoráveis a manutenção do feriado e cinco contrários. Ao término das manifestações a Vereadora Leila Cândido disse que as pessoas que desejarem ainda poderão procurar os vereadores para emitir suas opiniões a respeito do assunto. Ela também realçou que uma reunião interna será feita entre os vereadores para debater a questão.

A polêmica sobre o feriado municipal de 20 de novembro começou em dezembro de 2016, poucos dias depois do “Dia da Consciência Negra” ter sido celebrado pela primeira vez na cidade. Na época diretores da Associação Comercial, Industrial e Rural de Andradas, Acira, pleitearam, durante Sessão na Câmara de Vereadores, alterações na lei 1730 aprovada em dezembro de 2015. A lei havia sido proposta pelo Vereador já falecido João Marques Barreiro.

Os empresários disseram que o objetivo seria ampliar a comemoração e as atividades em referência a Consciência Negra pelo período de uma semana, mas sem manter o dia 20 de novembro como feriado. Mas naquele ano os empresários não tiveram seus objetivos atendidos pelos vereadores e a revogação do feriado não aconteceu.

Cerca de dois meses depois, em fevereiro de 2017, em outra Sessão, a Acira voltou a pedir para que a Câmara se debruçasse sobre o tema. Uma carta foi lida em plenário, assinada pelo então presidente da Icasa Amadeu Tonon, realçando os prejuízos que a indústria e o comércio locais sofrem com um terceiro feriado em novembro.

Novamente a Câmara não atendeu os comerciantes e empresários da cidade. Por isso, ainda em 2017, o Vereador Regis Basso apresentou o Projeto de Lei número 12 que altera a lei 1730, derrogando o feriado e  instituindo a “Semana da Consciência Negra”.

Desde então este projeto está tramitando pela Câmara, sem ser lido em plenário e nem votado. O mesmo Vereador criou ainda outro Projeto relacionado as comemorações e atividades a serem desenvolvidas durante a “Semana da Consciência Negra”.

Por isso ontem, 26 de novembro de 2018, pelo terceiro ano consecutivo, o debate a respeito do assunto foi novamente levado para a Câmara. Confira a reportagem completa apresentando depoimentos de pessoas que se manifestaram a favor do feriado e também entrevista com a Presidente da Acira Rosana Aparecida Sibila Fraga de Souza:

 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!